A bíblia inglesa e as revoluções do século XVII

Capa
Civilização Brasileira, 2003 - 641 páginas
Christopher Hill , um dos mais importantes historiadores inglêses do século XX - defende, nesta obra, a tese que a tradução da Bíblia reformista do século XVI para o inglês foi o estopim para as revoluções do século XVII. O autor parte da tese de que todas as idéias que dividiram os partidos da guerra civil e que separaram, entre os parlamentaristas, os conservadores dos radicais podem ser encontradas nas escrituras sagradas. Mostra como a história de Israel foi utilizada para justificar, em nome de Deus, tanto a defesa quanto o ataque ao rei, e como as citações bíblicas se tornaram uma espécie de código para a divulgação de novas idéias em vez de censura, sendo utilizadas por grupos tão diferentes quanto os reformistas, quacres, caçadores de heréticos, antipapistas e médicos. Mas, neste livro, o autor não se restringe às finalidades religiosas e políticas para as quais a Bíblia foi usada. Ele também leva em consideração os efeitos sobre a economia, a agricultura, a colonização, a literatura e a vida social em geral.

O que estão dizendo - Escrever uma resenha

Não encontramos nenhuma resenha nos lugares comuns.

Informações bibliográficas